Sobre fatura

A fatura é o documento que reúne as informações detalhadas de todas as compras do portador ao longo do mês, sejam elas realizadas à vista ou parceladas. Dessa forma é possível acompanhar os seus gastos e entender como eles foram calculados.

O emissor determina a forma que irá disponibilizar a fatura para seus portadores, seja em formato digital ou impresso e enviado até o endereço cadastrado para recebimento de correspondências.

A fatura traz muitas informações importantes, como as demonstradas a seguir:

FIG: Exemplo de informações contidas em uma faturaFIG: Exemplo de informações contidas em uma fatura

FIG: Exemplo de informações contidas em uma fatura

A - Vencimento: caso a fatura seja paga após a data de vencimento, além dos juros sobre o valor total dela, também poderão ser cobradas pelo emissor multa e outras penalidades previstas no contrato.

B - Total da fatura: trata-se do valor completo da fatura que deve ser pago até o dia do seu vencimento.

C - Limite de crédito: valor fornecido pelo emissor para que o portador possa realizar as compras de bens e serviços dentro daquele mês ou ao decorrer dos meses (parcelas). Existe também o serviço de saque emergencial, no qual o emissor pode oferecer ao cliente o saque de dinheiro em terminais eletrônicos com o cartão de crédito. Esta transação funciona como um empréstimo e é sujeita à cobrança de encargos de financiamento e/ou tarifas pelo emissor do cartão, além da cobrança de IOF.

D - Opções de parcelamento: há a opção de parcelar a fatura quando não é possível pagar o seu valor total, que, em geral, abrange uma quantia entre o mínimo e o seu total acrescido de juros. Ao pagar o mínimo da fatura anterior e usar o rotativo, na fatura atual é possível parcelar o saldo que ficou em aberto. O emissor pode determinar se precisa de um valor de entrada, a quantidade de parcelas e estabelecer as regras que fazem mais sentido.

E - Melhor dia para compra: é o dia equivalente ao fechamento ou corte de faturas, momento em que o emissor compila os gastos do mês do portador e delimita o que será cobrado no próximo vencimento. A fatura passa de “aberta” para “fechada” e todas as compras feitas a partir daquele dia entram apenas na fatura seguinte. A data de fechamento ou corte varia conforme a instituição que emite o cartão, mas, normalmente, ela é alguns dias antes da data de vencimento.

F - Pagamento mínimo: para o portador não ficar inadimplente é possível realizar o pagamento mínimo da fatura até a data de vencimento dela. Assim no mês seguinte, ele receberá a fatura com o saldo da dívida do mês anterior acrescido dos juros e outros encargos, podendo pagar o valor total dela ou solicitar o seu parcelamento.

G - Resumo de despesas domésticas: traz as informações resumidas das transações feitas no país de domicílio do portador, entre elas:

  • Saldo anterior: valor total da fatura do mês anterior.
  • Créditos: soma do valor pago da fatura no mês anterior e demais créditos que possam ter entrado, como, por exemplo, estorno de despesas.
  • Débitos/Despesas: total dos lançamentos financeiros do período registrados pelo emissor. É a soma dos valores das compras, serviços e demais encargos, quando houver.
  • Saldo (ou total) a pagar: é o valor total que você deve pagar até o dia do vencimento da fatura.

H - Histórico completo das despesas: nesse espaço são descritos todos os lançamentos de débito e de crédito da sua fatura registrados pelo emissor, tais como: tarifa de anuidade, compras, encargos devidos, pagamentos recebidos, estornos e outros. Além disso, o emissor informa a data do lançamento (débito ou crédito), o nome do estabelecimento em que você efetuou a compra, o valor do lançamento e se a compra/despesa é parcelada.

I - Resumo de despesas no exterior: aqui são apresentadas as compras feitas fora do país de domicílio do portador. As despesas em moeda estrangeira devem ser pagas na moeda local, portanto, o emissor do cartão de crédito internacional irá converter tais transações feitas em moeda estrangeira (dólar, euro, peso, etc.) para a moeda local vigente.

📘

Nota

As despesas no exterior não se restringem apenas ao deslocamento geográfico do portador do cartão. Transações feitas no exterior pela internet também são consideradas despesas no exterior e são consideradas em moeda estrangeira, portanto recebem o mesmo tratamento.

J - Cotação da moeda em transação no exterior: os emissores utilizam uma taxa para conversão de despesas em moeda estrangeira para a local, que está informada na fatura. Caso ocorra uma variação na taxa diária utilizada para a conversão das despesas em moeda estrangeira entre a data de emissão da fatura (ou na data da compra, conforme o caso) e a data do vencimento/pagamento da fatura, o débito ou crédito (dependendo dessa variação) será lançado na fatura seguinte.

L - Encargos de financiamento: taxa cobrada pelo emissor do cartão de crédito quando se opta por pagar uma parte do saldo da sua fatura e financia o restante pelo crédito rotativo, se faz compras parceladas e financiadas pelo emissor, efetua saques/empréstimos emergenciais com o cartão de crédito ou parcela o saldo da fatura.
Alguns emissores disponibilizam o pagamento parcelado da fatura como opção de pagamento da fatura do cartão de crédito. Nesse caso, o valor integral da fatura é parcelado e acrescido dos encargos de financiamento, que são:

  • IOF: Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, que é cobrado sobre operações de crédito e sobre as despesas feitas no exterior (em moeda estrangeira).

  • CET: sigla para Custo Efetivo Total. O objetivo do CET é informar a você qual é o custo total de uma operação de crédito, apresentando todos os encargos, tarifas, taxas, impostos e outras despesas que incidem na operação de crédito. O emissor deve informar o CET sempre antes da contratação. Já o valor desses custos pode variar de um emissor para outro.

  • Multa: se você não efetuar o pagamento da fatura do seu cartão de crédito na data do vencimento, o emissor pode cobrar uma multa por atraso de 2% sobre o saldo devedor.

  • Juros: juros de mora ou encargos de financiamento por atraso é o percentual cobrado pelo emissor sobre o saldo em atraso, que não foi pago na data do vencimento.


Crédito rotativo e pagamento mínimo

O crédito rotativo é um empréstimo para casos emergenciais em que o portador não pode pagar o valor integral da fatura do cartão de crédito. Então toda vez que ele pagar qualquer valor a partir do valor mínimo informado na fatura e deixar o saldo restante para o próximo mês, utilizará o crédito rotativo.

De acordo com a Resolução 4.549 do Banco Central, que entrou em vigor no dia 3 de abril de 2017, se depois de utilizado o crédito rotativo o restante da dívida não for quitada em até 30 dias, o portador poderá fazer um parcelamento dessa dívida, com juros menores que o do rotativo.

Qual é o valor mínimo?

O valor de pagamento mínimo da fatura depende das regras de cada emissor, ou seja, é ele quem define o percentual e comunica ao portador.

Caso o portador tenha utilizado o crédito rotativo no mês anterior, o saldo que ficou em aberto também fará parte do pagamento mínimo da fatura atual, assim como as prestações de eventuais parcelamentos de fatura que o portador tenha contratado anteriormente. Neste último caso, o pagamento mínimo será composto de:

  • Percentual mínimo das compras do portador efetuadas no mês, definido pelo emissor do cartão;
  • Valor do rotativo do mês anterior com juros adicionais;
  • Valor da prestação do parcelamento contratado.

Na próxima fatura o portador poderá optar por:

  • Pagar o total: para evitar juros e encargos, o portador sempre terá essa opção disponível;
  • Parcelar: paga-se o valor da primeira parcela ou um valor de entrada, segundo as regras do emissor;
  • Pagar o novo mínimo: percentual mínimo das novas compras, acrescido do valor do rotativo do mês anterior e dos juros.

Saiba mais sobre Personalização de parcelamento de faturas.

Saiba mais sobre Atualizar o dia de vencimento das faturas da conta.


Did this page help you?